Wikipedia

Resultados da pesquisa

20 de mar de 2011

INAUGURAÇÃO DAS SALAS DE AULA NO PRESÍDIO DE LEOPOLDINA/MG

Uma história de amor à vida

O que aconteceu no Presídio de Leopoldina foi algo inesquecível e inédito, para quem tem fé, só um milagre pode explicar.

Um sonho? Não, agora não mais.

Uma escola de verdade, com mais de 70% dos acautelados estudando desde as séries iniciais do Ensino Fundamental até o Ensino Médio.

Estiveram presentes prestigiando a solenidade de inauguração o ex-ministro dos direitos Humanos Nilmário Miranda o Prefeito Bené Guedes e as secretárias de Educação Lucia Horta, de Assistência Social Valeria Benati, o Secretario de Meio Ambiente Lúcio Fonseca, o chefe de Gabinete Sergio Lupatine, o Presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança do Adolescente Sr. Emersom de Paula, os vereadores Flávio Lima Neto e Vanderlei Pequeno de Cataguases, Sr. José Luiz Paixão da Emater, o delegado regional da Policia Civil Dr. Paulo e o inspetor Sr. Maurício e Geovani.

A Superintendente de ensino Sra. Maria José Marques e sua equipe Cláudia Conte, Mariana e Sidlucio, a diretora do conservatório Lia Salgado e o grupo de viola formado pelos professores que abrilhantou o evento com belíssimas músicas de serestas.

Tivemos a apresentação do Coral RECOMEÇO dos acautelados do presídio de Cataguases e regido pelos maestros Eli e Daniel agentes Penitenciários do presídio de Cataguases e o policial Militar Vanderson.


Discurso da professora Beth, a grande lutadora pela educação nos presídios

Quero agradecer em primeiro lugar a Deus por esta grande conquista que divido com uma das grandes incentivadoras deste projeto Sra. Cláudia Conte e toda a equipe da SRE Leopoldina: Mariana, Íris, Sidilucio, Sirlei, enfim todos e todas.

Na verdade quero agradecer também ao amigo Professor Mestre Guilherme Augusto Portugal Braga que em suas duas estadas nesta cidade deixou um rastro de boas sementes de sonhos e realizações como a implantação do método APAC de ressocialização, juntamente com um grupo de cidadãos teimosos, situada no antigo prédio abandonado na BR 116.

Era um professor de Direito Penal diferente, que trazia os alunos para dentro da cadeia para realizar aulas práticas e grupos de estudos, que ia nas rádios falar contra os preconceitos que o tema carrega.

Professor Guilherme também fundou a Biblioteca Sérgio Braga, (que falta reativar) que foi um dos melhores juizes desta comarca (década de 80), promovido a Desembargador e que, infelizmente, lutou com todas as forças para presenciar este evento, mas que Papai do Céu o recolheu recentemente.

Oxalá o poder judiciário deste país tivesse vários clones deste ser humano íntegro e competente.

Gostaria de pedir que todos nós ficássemos de pé e fizéssemos um minuto de silêncio para homenageá-lo.

Queria dizer o quanto o Jornal Recomeço e sua editora, carinhosamente chamada de Gueguê, contribuiu com a sua disposição e garra, algumas vezes enfrentando as humilhações dos tribunais, mas que nunca desistiu, quando a gente pensava que a nossa força estava toda se esvaindo, nós líamos os textos dos recuperandos, que nos fortalecia.

O Jornal Recomeço é um veículo, um canal de comunicação com o mundo, lembro-me, quando em 2007, um detento carioca após a distribuição dos jornais nas celas me chamou e disse: “Dona Beth pela primeira vez o meu nome não está publicado só nas páginas policiais”.

O jornal contribui para vencer o ócio, o descaso ou ausência de políticas públicas de ressocialização e encontram nas páginas do jornal um alento, entre outras (respostas) para amenizar o confinamento.

Durante o ano de 2006, dei aula em pé do lado de fora da cela 3, todas as tardes estávamos lá com a cela dos estudantes, ainda guardo com carinho os cadernos deles. Lembro do Divino que apesar de todo o nosso esforço não consegui alfabetizá-lo, porque ele sempre dizia “Dona Beth estou bolado hoje”, eu morria de rir e pegava na sua mão (pesada e enorme, pois tem quase 2m de altura) por dentro da cela e tentava sobrepor o “a-e-i-o-u”. Eles improvisavam umas garrafas pet para servir de mesas e sentavam no chão.

Na semana passada o Divino esteve lá em casa e eu disse para ele que agora ia ter escola com carteira, quadro negro e até merenda, ele disse:

- É, mas eu tô virando massa aqui fora, não quero mais aquela vida, não...

Eu fiquei feliz com a sua resposta.

Que bom que a Sirlei da SRE Leopoldina veio somar conosco aplicando as provas do exame supletivo.

Quando o senhores Carlos e Daniel fizeram o ofício solicitando a parceria da SEE, e quando em Dezembro de 2010, veio a resposta positiva enviada via e-mail pela Cláudia Conte, fiz o anúncio, que foi comemorado com muita alegria pelos recuperandos.

Mas e agora? E agora Daniel? E agora Sr. Moura?

Onde construir estas salas? Pensamos em fazê-las na laje, mas em seguida desabou muita terra do barranco traseiro.

A solução seria desocupar o almoxarifado e transferir para uma garagem que estava sendo usada pela Polícia Civil, e como demorou para que negociação nos fosse favorável, fizemos corrente de orações, marchamos em frente da garagem como um ato simbólico de posse durante quase dois meses, mas Deus é fiel, sabe que a causa é nobre e mudou o coração do homem.

Assim como fez em Israel quando o povo marchando derrubou as muralhas de Jericó, e temos muitas muralhas a serem derrubadas nesta causa, sabemos que as condições das salas de aulas não se adequam aos padrões de uma sala de uma escola convencional, entretanto convido todos vocês que tem fé para marcharmos em volta do terreno prometido lá no bairro do Limoeiro para, ai sim, termos condições mais dignas de trabalho de ensino e aprendizagem.

Daí uma corrida louca contra o tempo para deixar prontas as salas, e se não fosse o apoio da Sra. Vera Pires que doou as portas e janelas e o esforço descomunal do Sra Diretora Joana Darc Arruda Gonçalves Ferraz, que não mediu esforços para o sucesso deste projeto e para o brilho desta festa.

Na verdade tenho muitas e muitas histórias lindas de sucesso escolar para contar, como o primeiro lugar do curso de Meio Ambiente do Cefet Rio Pomba foi de um recuperando, a formatura de mais de dezenas no Presídio de Cataguases.

E ainda temos muitos sonhos a serem realizados como a escola na cadeia de Além Paraíba, que faz parte desta jurisdição da SEE.

Temos muito a fazer por esta causa, mas sozinhos nunca jamais teríamos alcançado tantas vitórias.

Precisamos de todos vocês sempre.
----------------------

                        Mais fotos do evento











-----------------------

5 comentários:

  1. Anônimo21/3/11

    Parbéns Glória.

    Sua luta incansável vai deixando frutos difíceis de acreditar!

    Ronaldo

    ResponderExcluir
  2. Anônimo26/3/11

    Parabéns, a educação abre portas, o saber modifica a vida.
    Dorothy

    ResponderExcluir
  3. Anônimo20/6/11

    Um dia alguém disse que os advogados,fossem no defender;
    ...e hoje temo a eles.
    Achei também que os policias,fossem para nos proteger;
    ...e hoje temo a eles.
    E até mesmo os que se acham Deus (representantes da justiça)mesmo quando dizem justiça fazer, só nos fazem sofrer;
    ...e hoje temo a eles.
    Não sei onde vamos parar, se assim o mundo continuar.
    So sei que a lei dos homens nunca existirá;enquanto homens desse tipo decretar;a minha esperança é que um dia Deus fará !
    Léia (mãe de um apenado)

    ResponderExcluir
  4. Anônimo24/6/11

    Tia Bety, quero te agradecer por tudo que tem feito aos apenados de Leopoldina,pois o bem não só ajuda a eles mas todos os que os amam também.Que Deus te abençoe com saúde e paz...
    Léia(mãe de um apenado)

    ResponderExcluir
  5. Anônimo16/9/12

    tia beth saudades da senhora obrigado por tudo q vez por mim quando estava elizandra de juiz de fora

    ResponderExcluir

Comente