Wikipedia

Resultados da pesquisa

14 de out de 2011

NOSSAS CRIANÇAS E O ABUSO INFAME DA GLOBO

Écrasez l’Infâme

O desfecho da novela Morde e Assopra mostra o quanto o ECA – Estatuto da Criança e do Adolescente – é letra morta neste país.
E o quanto a rede Globo de televisão é hipócrita ao realizar um projeto denominado CRIANÇA ESPERANÇA.

Vamos ao fato na novela:
Nasce uma criança.
A avó dá-lhe o nome de “prejuízo” porque criança dá muita despesa.
O pai da criança, totalmente indiferente, foge para não ser “pai de família” e ... vai viver com outro homem.
A mãe da criança, referindo-se ao filho como um estorvo, joga-o na casa da cunhada e comunica que vai para o Rio de Janeiro... posar nua e iniciar sua carreira de modelo.
Tudo isso com cenas gloriosas de caras e bocas dos que deveriam estar envolvidos com a vida da criança.
A avó fica injuriada por ter de suportar “ficar com a criança”.
Essa é a forma insana e cruel com que a Rede Globo trata o futuro das crianças brasileiras.

Écrasez l’infame!*
---------------------
*“Esmagai a infame” – Termo célebre usado por Voltaire contra os abusos da religião na sua época (1694-1778).
Voltaire dirigiu um apelo a seus amigos e companheiros, convocando-os para a luta:
Os abusos e a hipocrisia dos poderosos acontecem em todas as épocas.

“...derrotemos os hipócritas, destruamos os vis sofismas, os absurdos sem conta; não deixemos os que têm bom senso sob a sujeição dos que o não tem; e a geração que está nascendo nos deverá razão e liberdade”.
As vítimas são sempre os mais fracos e indefesos. E as crianças são as maiores vítimas da nossa época, pleno século XXl, em que os que detêm poder tratam as crianças como "lixo".

3 comentários:

  1. En nuestro tiempo, se da una curiosa paradoja. Al niño, se le adjudica el papel de "rey de la casa", colmandole de regalos inútiles y tolerando conductas intolerables, pero no es fruto de un amor incondicional, como se pretende torticeramente, si no de una comodidad extrema y un egoismo atroz. Es más facil, satisfacer, inmediatamente, todos sus caprichos, que dedicarle tiempo, paciencia y esfuerzo. El pretendido"rey de la casa", es en realidad, un proscrito.
    Ademas,la industria del consumo, se ha apoderado del niño, para explotarlo como modelo publicitario y como potencial cliente, mostrandole, via TV, todo lo que "puede y debe" exigir que le compren.
    Y también, el niño como moneda de cambio,chantaje y castigo del contrario, en el caso de las separaciones matrimoniales.
    En resumen, al niño se le niega, en la practica, su condición de sujeto, tratandole como un mero objeto. Tristisimo....

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente tudo que acabo de ler é verdade. As novelas estão contaminando as famílias. A troca de valores é de dar nojo. A Globo não tem limite para nos fazer engolir tanta porcaria. Por que não destaca os sentimentos nobres? Sempre o mais podre prevalece. A televisão se tornou um "lazer" para masoquistas, pouco se aproveita. Sinto-me muito mal. Estão precisando muito de DEUS.

    ResponderExcluir
  3. Acho este jornal muito forte. Cheguei a me assustar, foi uma mistuta de surpresa com alegria. Ele representa tudo que está apertando o meu peito por muito tempo. Nunca imaginei que tudo que é escrito aqui, pudesse ser feito sem punição. Por isso admiro a coragem e a forma que é transmitida a mensagem e a luta por justiça. Me interessei em acompanhar as notícias porque a leitura é um desabafo para mim. Diante de tantas injustiças e quase sempre o poder prevalecendo sobre os mais fracos, me faltam palavras para transmitir mimha tristeza e decepção com meu país.Que Deus nos ajude!

    ResponderExcluir

Comente