Wikipedia

Resultados da pesquisa

24 de mar de 2008

Documentário Justiça

Escuridão já vi pior de endoidecer gente sã
(Mais uma vez - Renato Russo)
Esta é uma das cenas mais tristes e revoltantes no documentário Justiça, de Maria Augusta Ramos, que recebeu inúmeros prêmios em festivais internacionais, desde 2004, quando foi lançado.
Alan (na foto) tem 18 anos, é asmático e pesa 38 quilos. É acusado de tráfico de drogas. Ao se sentar na mesa diante do juiz para ser interrogado, coloca as mãos para baixo.
"As mãos têm de estar em cima da mesa.", diz o juiz.
Inacreditável que eles tenham regras até para a posição das mãos e que o juiz se incomode com as mãos do menino magérrimo, mas não diz nada quando os réus interrogados, durante o documentário, relatam que foram espancados pela polícia no ato da prisão.

Num outro interrogatório, o réu está numa cadeira de rodas, as pernas são atrofiadas. Acusação: ter pulado o muro para cometer um crime qualquer. O juiz não dá a mínima atenção quando o réu diz "como é possível eu ter pulado o muro na minha condição?". - Você já estava assim quando a polícia te prendeu?, pergunta o juiz. O pobre infeliz responde que sim e pede ao juiz que o transfira para um lugar compatível com a sua deficiência física.
É inacreditável, mas o juiz responde:
- Eu preciso que um médico dê um atestado, procure um médico. Eu não posso fazer nada.

Não tenho dúvida: o Brasil seria melhor sem a escuridão dessa (in)Justiça.

NOTA
Maria Augusta Ramos lançou esses dias o filme Juízo, no qual trata da prisão de menores no Brasil e do quanto eles são demonizados pela mídia. Para ver a sinopse do filme clique aqui.

6 comentários:

  1. wilson rezende25/3/08

    Gloria força nesta sua luta, um grande beijo.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo25/3/08

    Meu Deus, este olhar calou no fundo da minha alma...

    ResponderExcluir
  3. Anônimo27/3/08

    Cara Professora Glória,
    Meu nome é Fábio, tive conhecimento da sua luta através do Blog da Professora Isabelle de B.Hte, sou advogado em B.Hte, sinto-me estarrecido e envergonhado das situações reportadas pela Senhora, passei a admira-la e acompanharei a sua luta. Mta Luz e Coragem!

    ResponderExcluir
  4. Anônimo21/9/08

    O documentário Justiça é excelente.Não pisquei um minuto ao assisti-lo.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo6/1/09

    Fico triste de que no Brasil seja assim. Choro baba e ranho pela a justiça do meu país no entanto o Brasil é uma vergonha enfim. Aqui mostro o meu desagrado perante a situação do jovem de 18 anos.

    ResponderExcluir
  6. Francislaine23/11/10

    Fico impressionada, como acusávamos o sistema, mas na realidade, somos nós ( sociedade) que tem responsabilidade social, pra fazer com que mude, e seja transparente. Os nossos impostos, pra quem interessa pra onde vai ? o dinhero público que são destinados todos os meses para os présidio, são corretamente usados? já ouviu falar de escolas, poucos são os que trabalham, nós precisamos parar de fingir que não vemos...não são seres que possam se reintegar a sociedade?

    ResponderExcluir

Comente