Wikipedia

Resultados da pesquisa

2 de nov de 2007

Polícia: Inglaterra e Brasil

Polícia inglesa é condenada por caso Jean Charles
"A polícia britânica foi condenada ontem a pagar uma multa de 175 mil libras (R$ 630 mil) por erros que levaram ao assassinato, por engano, do brasileiro Jean Charles de Menezes no metrô de Londres em 22 de julho de 2005. Além da multa, a polícia também terá de pagar os custos do processo, de 385 mil libras (R$ 1,4 milhão), o que eleva o valor total para mais de R$ 2 milhões."
Meu comentário
- Enquanto isso, no Brasil, mata-se a granel. Se a polícia brasileira fosse julgada pelos milhares de jean charles executados nas favelas e periferias, a instituição teria de sumir do mapa. E pior do que a impunidade da polícia, é a parceria estado-polícia-imprensa-sociedade, todos torcendo pela mortandade de pobres e negros. Pergunto: quanto tempo ainda levará para que nos tornemos um país humano e civilizado?

- Leiam notícia (cínica) abaixo, hoje, na Folha de São Paulo: "evidências" de "duas" execuções sumárias no conjunto de mortes na favela do alemão. Então a imprensa não sabe que isso é uma deslavada enganação? Mas ela não se manifesta, dá a notícia como por obrigação do ofício, sem levar o leitor a perceber a verdade de que há um genocídio em curso no Brasil.
Aqui as instituições e autoridades nunca são julgadas pelos seus atos. Vejam o depoimento do secretário de Segurança do Rio sobre o relatório de execução sumária:

"A conclusão da perícia independente foi desqualificada pela Secretaria de Segurança Pública do Rio. Em nota, o secretário José Mariano Beltrame disse que os peritos responsáveis pela elaboração não estiveram no Rio de Janeiro para realizar o trabalho. "Trabalharam única e exclusivamente interpretando o laudo realizado pela Polícia Técnica do Rio de Janeiro, o que o desqualifica sob a ótica da ciência da perícia técnica."O secretário também afirmou que a análise divulgada é resultado de pressão de entidades de direitos humanos."
Simples, não? Estamos entendidos e fim de papo. Continua-se a matar.

A notícia na Folha:

Laudo aponta execução sumária no Alemão
Laudo independente da Secretaria Especial dos Direitos Humanos, feito a pedido do próprio governo do Rio, aponta que, "com grau de certeza", houve "execução sumária e arbitrária" dentre as 19 mortes que ocorreram durante operação policial, em junho, no conjunto de favelas do Alemão, na Penha, zona norte do Rio.Segundo o documento, em ao menos duas mortes, as de José da Silva Farias Júnior e Emerson Goulart, "foram encontradas evidências de morte por execução sumária e arbitrária". O governo do Rio contesta a avaliação (leia texto abaixo).A perícia independente indicou ainda que cinco dos mortos foram atingidos por tiros de curta distância e que, em 14, foram encontrados 25 tiros que os atingiram pelas costas.O laudo concluiu ainda que seis dos mortos foram baleados no crânio e na face, e que os 19 mortos foram atingidos por pelo menos 70 tiros, sendo 75% em regiões mortais.A análise pericial independente da Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República foi enviada ontem ao governo do Rio.

No material estudado, os peritos afirmam ter achado "argumentos para embasar a afirmação de existência de execução sumária e arbitrária, quando analisados em conjunto".De acordo com os técnicos contratados pela Secretaria Especial dos Direitos Humanos, o grande número de orifícios de entrada na região posterior do corpo, os numerosos ferimentos em regiões letais e a elevada média de disparos por vítima embasam a conclusão.

Outros indicativos são proximidade de disparos, seqüência de disparos em rajada e armas diferentes utilizadas numa mesma vítima. Ainda de acordo com os peritos, o material analisado aponta ausência de condutas destinadas à captura e ausência de indicadores de condutas defensivas por parte das vítimas.Ontem, mais seis pessoas morreram durante confrontos com a Polícia Militar no Rio.

3 comentários:

  1. Fazer um paradigma entre a Polícia Inglesa e a Polícia Militar não somente a do RJ e outras Metrópoles é brincadeira, Lá é um País que tem milênios e Milênios de experiências, tradições, A Europa - Berço da Humanidade - não podemos comparar as Polícias conforme o artigo que a colega escreveu:
    Agora se comparar os Políticos que passaram e ainda aí estão e não deram condições para a preparação de uma Polícia séria, o paradigma teria seu valor:
    A Polícia quando entra nas favelas, somente tem duas alternativas, Matar ou Morrer, se eu fosse Polícia, entre Matar e Morrer um Bandido que Morra o Bandido porque é menos um para se gastar com ele nas delegacias e penitenciárias:
    Não sou a favor da Pena de Morte, até porque estudo e gosto da Filosofia e Doutrina REligiosa de Kardec, entretanto, entre eu morrer e o Bandido que não tem s mínima sensibilidade com as pessoas, vai ter com um Policial quando adentra na Favela? Não sejamos hipócritas e vamos levar as coisas mais a sério:
    aqui nada é levado a sério, para se exterminar a Bandidagem, leva-se de 20 a 30 anos preparando uma geração daqueles que estão em idade tenra agora, os que já estão no mundo do crime, por favor o retornor é difícil é impossível, sejamos mais criativos e saibamos destinguir o que é Bandido e o que é Polícia, pois até na própria Polícia existem Bandidos, como existem na Política no Executivo, como no Judiciário Nas Religiões, Falar, escrever é fácil, quero ver fazer, quero ver defender conforme muitas vezes faço e defendo graciosamente, seja Bandido ou não, pois todos tem o direito de defesa consagrado na Constituição:
    Rio de Janeiro, 03 de novembro de 2007
    Advogado Criminalista.
    Rio de Janeiro.
    rezendeaugusto@oi.com.br

    ResponderExcluir
  2. Caro Augusto, não entendo como uma pessoa esclarecida e com alto grau de instrução como você pode cair nesse engano de considerar que a polícia pode entrar na favela matando... Primeiro, bandido tem estrela na testa?como ela sabe quem são os bandidos? Por serem favelados e negros em sua maioria? Segundo, mesmo que sejam suspeitos, devem ser detidos e julgados pelo órgão competente, que á a justiça.Ou a polícia agora substitui totalmente a Justiça? Você comete o mesmo engano da sociedade, da imprensa, dos próprios governantes: as prisões não estão superlotadas de bandidos, mas de pessoas que cometeram delitos, a grande maioria delitos leves, não são violentas e, na verdade, não deveriam nem estar presas. Prisão deveria ser para pessoas perigosas, assassinos principalmente, e esta não é a nossa realidade. Outra coisa:li a análise de um especialista que os suspeitos reagem contra a polícia porque sabe que não têm chances, que serão mortos sumariamente, se não fosse assim, se soubessem que a polícia e a justiça são sérias, eles se entregariam para serem julgados. E não haveria tanta violência e tanta bala perdida que já está descendo o morro.

    ResponderExcluir
  3. Minha clara Glória:
    Em meu comentário, o faço pelo que sei e pelo que conheço há mais de 30 anos como advogado, A Polícia Militar é uma Polícia ostensiva, o que quero afirmar, é que se hoje estamos no caos que nos encontramos, não é culpa da Polícia que também, sai da própria sociedade, alí se inscreveram, fizeram concusrso e são preparados para a defesa, como força Auxiliar das Forças Armadas, que não têm o poder Constitucional de fazer o que as Polícias Militares e as Polícias Judiciárias (Civil) se prepararam para tal: O que falta é Comando, o que falta vem de longe de políticos antigos, que deixaram a proliferação das "Favelas" hoje chamadas de Comunidades, que não precisariam existir: Tudo inicia-se no Brasil de forma errônea, assim como iniciou-se em 13 de maio de 1988 com a "Abolição da Escravatura" pela Princesa Izabel, que simplesmente, assina um documento dando a Liberdade, mas, deixaram os senhores Feudais com todas as "Terras" e não deu a oportumidade para que os pobres escravos,que trabalharam anos e anos para eles com uma das mãos à frente e outra atrás; Dessa forma os senhores Feudais expulsaram seus escravos e estes iriam para a aonde? Se nada tinham...
    Inicia-se assim a favelização pelos morros onde as terras não interessavam aos seus Senhores ou ex-senhores:
    Uma coisa é tratar mal a criança na Rua ou mesmo nas Escolas conforme tenho e venho acompanhando em suas crônicas, outra coisa é a Polícia necessitar de adentrar em uma "favela" e não ter ném como entrar, pois, os próprios bandidos têm a sua Lei do Silêncio e colocam barricadas nas entradas das ruas e Vielas:
    Não sou favorável a "matar", mas, também, não sou favorável que a Polícia seja enfrentada "a bala" e muitas vezes com armas mais poderosas que tem a própria Polícia, onde esconde em barracos, pedreiras, vielas e até dentro de casas de pessoas de bem que alí estão residindo, mas por medo se calam,
    Se querem ser julgados pela Justiça pela infração cometida, por que não se entregam, antes, de iniciarem o tiroteio?
    a Polícia tem que adentrar, seja na favela, ou nos apartamentos de luxo, seja lá onde for, isto é mais que claro, e hoje é o que mais se vê acontecer, mandados de Prisão em apartamentos de luxo e os Bandidos que alí estão se entregam sem que haja tiroteio!
    Os Bandidos das favevelas, assim o fazem? Primeiramente colocam a população carente à frente e depois iniciam à atirar, Isso é justo?
    Logicamente que no meio de tiroteio irão morrer pessoas de bem, como pessoas do mal, inclusive até policiais:
    Não é o meu grau de esclarecimento que vai colocar as coisas em seus devidos lugares, mas é o meu grau de esclarecimento que me dá o direito de responder e comentar o que sei, o que conheço, o que percebo: Somente iremos modifificar tal situação quando tivermos administrações sérias, pois, a mudança de uma geração se dá ao longo de 20 para 30 anos, a fruta que está bichada, contamina as outras, este é fato é notório que nossos avós já comentavam a muito e muitos anos:
    Saudações.
    rezendeaugusto@hotmail.com
    Augusto Rezende.

    ResponderExcluir

Comente