Wikipedia

Resultados da pesquisa

3 de jun de 2007

Textos dos detentos

Da Unidade prisional de Leopoldina

Samuel Teodoro
Falta solidariedade


No meio da comunidade carente, nós encontramos, pessoas inteligentes, artistas, atletas, cantores, só esperando uma oportunidade de mostrar as suas qualidades profissionais.
Caro leitor, hoje vamos falar de algo muito importante, sobre a vida social. Muitas pessoas da alta sociedade não se preocupam com os mais necessitados, que convivem no meio de nós. Algumas pessoas nasceram em berço de ouro e outras, que por sorte alcançaram riquezas sem ter que se esforçar, estes tais vivem uma vida social sem ter a preocupação de ajudar as pessoas mais carentes, até mesmo nem pensam que um dia o reinado acabará.
Mas o lado obscuro da vida medíocre a qual a alta sociedade faz vista grossa, ou seja, vê e finge que não vê, porque se preocupa tanto com a aparência, que pisa nos menos favorecidos. Esquecendo que são pessoas carentes e acima de tudo humanas, que não tiveram a mesma sorte que muitos tiveram na vida. Pessoas que sofrem com a fome, com o desemprego, e sempre sonhando com uma vida mais digna de se viver, mas sabendo também que com esta diferença social jamais poderá superar os obstáculos.
A falta de oportunidade de emprego é muito grande. Pois muitas dessas pessoas carentes não têm a mínima chance de ter um emprego, pois até mesmo para trabalhar como gari, precisa ter um certo grau de escolaridade. Hoje em dia, se uma pessoa não tiver de um a cinco anos de experiência profissional, não arruma emprego em lugar algum.
Até quando vamos conviver com esta falta de humanidade, com esta diferença social? Se cada um de nós fizer um pouco pelas pessoas carentes, ai sim mudará um pouco o rumo desta realidade e desigualdade.
É óbvio que não conseguiremos mudar o mundo, mas se você ajudar uma família que precisa de alimento, roupas, calçados e até mesmo um emprego, você vai ver o quanto é gratificante saber que você trouxe uma alegria pra esta família.
Se você tem condições de dar uma cesta básica, dê, de dar um emprego pra um chefe de família, dê, de doar materiais escolares, doe, então se você tem uma casa de material de construção, doe um saco de cimento, um metro de areia ou qualquer coisa para erguer uma casa. Eu tenho certeza que Deus lhe dará tudo em dobro, pode crer nisso.
Você deve estar pensando que eu sou um socialista, posso até ser, basta querer lutar para que as pessoas esquecidas pela sociedade possam viver com mais dignidade diante de todos. No meio da comunidade carente, nós encontramos, pessoas inteligentes, artistas, atletas, cantores, só esperando uma oportunidade de mostrar as suas qualidades profissionais.
Mas esta oportunidade é só você quem pode dar. Experimente, dê uma chance essas pessoas que tanto precisam de sua ajuda, não há dinheiro no mundo que pague, você sentir a sensação de ver um sorriso de uma pessoa que tanto precisava de você.
Eu quero lhe agradecer e ao mesmo tempo pedir desculpas pelo meu desabafo, e dizer pra você, que o lugar pra onde vamos um dia, lá não existe desigualdade social e nem racial.

Paulo Sérgio
Momentos da vinha vida


Existe momento em nossa vida que temos uma oportunidade e não aproveitamos porque estamos completamente cegos e não conseguimos obter tudo que sonhamos.
Então procuramos realizá-lo, mas já é tarde e não temos mais a mesma idade, e isto é fundamental. Mesmo assim insistimos em obter sempre o sonho que fica em nossa mente, porque quando acordamos para a realidade batemos de frente com um mundo que não podemos sonhar.
Só que até mesmo para trabalharmos é preciso ter muita força de vontade ou ter algum estudo, pois a maioria de nós não tem.
O que temos é muita força para romper as barreiras que temos pela frente, porque se pecamos e não tentamos corrigir, cairemos em um lugar que aí não adianta sonhar.
E às vezes passamos por situação que somente Deus que pode nos ajudar. Às vezes temos que tomar decisões que às vezes não queremos, mas só sei que sabemos que temos um Deus que está sempre ao nosso lado.
E tenho a convicção que Deus jamais me desampara e isso me dá força, paz, coragem e determinação.
Hoje, infelizmente, sofremos com o desemprego em nossa sociedade que prejudica o pai de família que quer tanto tratar de seus filhos.
Até quando vamos conviver com este problema que leva muitos pais de família ao crime?
E ai as coisas se tornarão ruins para este chefe de família quando ele querer voltar atrás e será tarde demais.
O criminoso começa com pequenos delitos até se tornarem maiores. Mas não percebe que na sua frente esta abrindo um imenso buraco que não pode fechar.
Então ele fica mais desesperado a ponto de andar armado com arma de fogo. Ele não sabe mais do seu destino, se é morrer ou viver.
Mas, se por ventura, ele for detido em prisão, ele ainda terá a oportunidade de se reintegrar à sociedade e pode até conseguir um trabalho honesto para criar os seus filhos.
Mas tem uma outra saída para a nossa vida que é aceitar Jesus e terá uma vida espiritual mais cheia de esperança.
Mas se algum dia você tiver a oportunidade de mudar sua vida não a desperdice. Porque pode ser a primeira e a última. Se em algum desses assaltos você for atingido por uma bala e morrer, ai é o fim. Pense bem, meu amigo, a vida do crime não compensa.

Márcio Inácio
A justiça não vê que sou uma nova pessoa


Eu, Márcio, venho escrever para este jornal Recomeço com as melhores formas de expressar para todos os detentos que vêm aqui escrever. Apesar de todo esse tempo que passamos aqui, presos pelo que fizemos, é certo. Mas o que a Justiça fez a minha pessoa, que antes não pensava num futuro melhor, mas essa pessoa agora estava com sua família e a Justiça me pôs nessa em que me encontro ‘’Preso’’. Não tenho como pedir um favor a minha família para me ajudar porque sou sozinho e aguardo a obra de Deus. E vou ter muita fé em Deus que a Justiça Divina tarda, mas não falha.
E peço que, quem puder me retribuir com uma ajuda ficarei grato com sua pessoa, por nem me conhecer e oferecer a sua ajuda. Que Deus esteja convosco.
Rafael Silva Rodrigues
Daqui pra frente, tudo vai ser diferente...

Tenho 22 anos e estou atualmente preso na Cadeia de Leopoldina. Quanto tempo eu estou pagando? Mais de 2000 dias... Já imaginou quantas coisas eu já perdi lá no mundão, mas tudo isso só me fez mal.
Eu já aprontei pra caramba na rua, na liberdade, aí eu caí preso, mas não parei de aprontar, continuei porque comecei a pensar “se já estou preso mesmo, que diferença faz”? Eu já bati em caras que por pouco não morreram e isso me encheu de cadeia, mas creio que Deus trabalhou na minha vida e não deixou eles morressem. Foi tudo muito doido, as coisas foram ficando fora do controle, eu já não conseguia parar de aprontar até que eu acabei arrumando mais cadeia pra mim. E eu não me sinto orgulhoso com tudo que fiz. Agora, eu só quero fazer tudo diferente, vou mudar esse quadro, quero voltar para a minha família, porque se eu me deixasse levar pelo que eles queriam pra mim, minha vida não teria sido assim.
Vou terminar essas palavras deixando um agradecimento na oportunidade de poder expressar meus pensamentos e agradeço ao jornal Recomeço.

Reinaldo Ferreira Moraes
Às autoridades


Venho por meio deste jornal levar ao conhecimento da justiça respeitosamente a comunicação que minha condenação se encontra devidamente e integralmente cumprida no dia 27 de abril de 2007. Sou condenado há seis anos e 11 meses, preso em 19 de fevereiro de 2000, solto em 20 de agosto de 2004, sob liberdade condicional, preso novamente em 27 de novembro de 2004 por cometer crime previsto nas sanções do art. 171 e 16 do CPB, onde revogou minha condicional, tendo que cumprir todo o restante da pena. As condenações por esses dois crimes ocorreram na cidade de Cataguases, onde a justiça por seus justos motivos me concedeu a extinção de pena, ou seja, acabei minha condenação não havendo nenhum outro processo ou mandado de prisão contra mim.
Meu comportamento carcerário é exemplar desde quando dei entrada a essa unidade prisional, podendo ser visto através de meu atestado carcerário. Enfim informo que permaneci apenas três meses em liberdade de 2000 até esse ano de 2007.
Peço ao Juiz que, por favor, me conceda essa saída onde assumo cumprir na forma da lei meus deveres de um homem honesto e recuperado ao sair daqui.
Desde “já meus agradecimentos ao MM Juiz de direito em exercício no cargo e na norma da lei”.
Muito obrigado. Atenciosamente

Klotild Guimares Pinto
DEPENDÊNCIA


Estou há um ano e 8 meses detido e qual é a conclusão disto tudo? Ë que eu era um viciado que comercializava para manter o meu próprio vício, vendia o que usava. Muitos sustentam seus vícios roubando, trabalhando, pedindo trocando tudo, seus bens materiais, e eu comercializava. Aí vem uma autoridade e diz que o traficante vicia menores. E quem me viciou quando eu era menor?
A droga não vai atrás do viciado, o viciado é que vai atrás dela, às vezes é até apresentado a ela pela sua curiosidade e pelos próprios familiares. Às vezes, por ser inibido, tímido e vai atrás de desinibir, perder a timidez. Ao contrário do que muitos pensam, o traficante é como um comerciante que vende cigarros e álcool, que não avisa e nem oferece que tem, simplesmente o dependente sabe e vai lá comprar. O que as autoridades desconhecem é que nas estatísticas os menores são os maiores consumidores, são os que procuram mais. Mas como fazer? Pedir carteira de identidade, autorização dos pais ou responsável? O que fazer se o tráfico de drogas é uma realidade, se o viciado de hoje é o traficante do amanhã? Se o viciado é doente, o traficante não pode ser médico, mais um doente em potencial, se o viciado é o parasita, o traficante deve ser o hospedeiro?
A hipocrisia é tão grande que ninguém enxerga a verdade de que vender ou usar devem ser considerados ambos uma doença social.
Ë claro que existem outras formas de fugir desta rejeição social, dos problemas e das angústias, que as condições boas ou ruins que a vida traz como: trabalhar, estudar, ler, escrever e etc... Mas a droga hoje chega pela internet, nas salas de bate papos é até mais fácil conhecê-la. Quando eu comecei, não tinha essa facilidade, era quase impossível e tornava ela mais saborosa e destrutível. Hoje ela é fatal, inconseqüente e destrutível. Chegam até a acusar a droga pelos crimes mais hediondos, só que eu conheço pessoas que cometem grandes delitos e não usam drogas e outros que pensam em cometer, mas ao usar drogas desistem. Isso não é uma defesa ou uma critica contra, é só uma observação para quem quer saber da realidade e da verdade nua e crua sobre a droga, isso em parte, porque neste mundo tem muito mais.
Natural, sintética, refinada, favela, condomínio, barracos, ruas, bailes festas solitário, reuniões, em tudo ela esta presente. Seja pra dormir, coar, fumar, cheirar, enrolados, com ou sem receita médica, autorizada pelo ministério da saúde ou não, sempre tem uma droga pra solucionar. Tratamento, força de vontade, ajuda social, dependência, tudo é conseqüência pra desintoxicar ou ate mesmo viciar as pessoas. A droga é como o amor: constrói ou destrói. A escolha é sua, o traficante é como o cupido, flecha, mas a conseqüência é nossa.

Mauro de Oliveira Barbosa
Agradecimento


Eu, Mauro de Oliveira Barbosa, venho por meio desta escrita agradecer à Pastoral Carcerária que vem nos trazer a palavra de Deus e nos dar atenção aqui na cadeia onde nos encontramos privados de liberdade. Quero agradecer a Dona Dalva, a Dona Santinha, D.Maria, D. Clarice e ao sr. Clóvis por tudo que ele faz para nós aqui no sistema. Que Deus possa estar sempre na vida de vocês e seus familiares, meus votos de estima.
Para minha filha
Para Mayara, minha filha que eu amo muito. Olha, filha, cada dia que passa eu fico pensando muito em você e no mesmo instante quero que continue no estudo, olha aqui está muito difícil para mim, mas não impossível. Estou lutando para sair deste lugar para lhe dar toda a minha benção e poder cuidar melhor de você, minha princesinha. Como você faz falta para mim! Saiba que o que eu tenho e o que me resta é o seu futuro. Não quero que você me culpe, pois estou pagando pelos meus erros. Assim que eu sair, conversamos melhor. Fica com Deus, te amo muito mesmo, um abraço estou cheio de saudade minha filha.
Seu pai Mauro.
(Agradeço pelo espaço, e também por estar recomeçando novamente, a toda a equipe deste maravilhoso jornal, muito obrigado. Atenciosamente, Mauro.)

Erwin Romel Gouvea Pontes
Apelo

Venho mais uma vez falar da minha situação aqui na cadeia, estou condenado à pena de seis anos no art 157 e estou pagando três anos e sete meses. Não tenho condições de pagar advogado para poder entrar com pedido de condicional, peço a algum advogado que o faça para mim, já estou pagando cadeia demais e não sou o que a sociedade pensa. Espero que alguém possa me ajudar a sair deste lugar. Aguardo resposta.
Fico agradecido por este maravilhoso jornal e a toda equipe, desde já meus votos de estima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente