Wikipedia

Resultados da pesquisa

20 de set de 2007

Dízimo na mira da Justiça

Até que enfim, as pessoas e as próprias autoridades começam a reagir contra esse estelionato chamado dízimo. Essas empresas ditas religiosas usam palavras da Bíblia de há 2.000 anos atrás para explorar a ingenuidade e a crença dos incautos. Esses dias também, a justiça condenou a empresa do Edir Macedo a devolver R$2.000 a uma outra vítima que tinha vendido seu único carrinho para dar adiantamento à igreja a fim de promover a sua "vitória" financeira. Ele ficou sem a vitória, sem o carro e sem o dinheiro. Entrou na justiça e esta mandou a "igreja" devolver o dinheiro ao ludibriado.

Agora, uma outra condenação (Folha de São Paulo - 20/7- Seção Cotidiano):

Igreja tem de devolver dízimo à professora
Determinação foi da Justiça de Franca, no interior de São Paulo; colégio da Igreja Adventista descontava 10% do salário todos os meses. Uma decisão da Justiça deu à professora Renata Acosta Alves dos Santos, de Franca-SP, o direito de receber de volta o dinheiro que foi descontado do salário dela a título de "dízimo" pelo Instituto Paulista Adventista de Educação e Assistência Social de Franca. Na decisão, foi negado recurso à escola. Evangélica, Renata trabalhou na escola nove anos e, nesse período, 10% de seu salário foi descontado e repassado à Igreja Adventista. No total, foram descontados R$ 31 mil.
Agora, vão ter de devolver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente