Wikipedia

Resultados da pesquisa

22 de set de 2007

RECUPERANDOS DE CATAGUASES

Alex Sandro Gomes Diniz
A experiência que Deus me deu

Eu, Alex Sandro Gomes Diniz, tenho 28 anos sou carioca e detento dessa cadeia de Cataguases, ainda sem condenação e se Deus quiser não virá. Estou pagando pelo erro que jamais achei que ia cometer de novo, mas isso é uma experiência que Deus me deu de ver e de pensar o quanto eu errei e não quero errar mais.
Cheguei aqui no dia 05/07/07, tenho pouco tempo de cadeia, mas já vi que o sistema é o certo.
O que eu mais quero para minha pessoa, e acredito que os demais também, é uma chance perante à sociedade de mostrar que somos em primeiro lugar seres humanos e cidadãos como todos que estão atrás do muro. É um muro que muitos desconhecem e que apesar de estar privado da liberdade pensa neste mundão ai fora, em vocês ai do outro lado, nos amigos, nos parentes, na mulher e filhos, pensamos até mesmo nos que querem nosso mal.
Eu penso na minha família lá no Rio de Janeiro, na minha mãe tendo dificuldade de me visitar e que está sofrendo muito com tudo isso, saindo de lá de 15 em 15 dias para poder me ver. Penso nos meus irmãos que amo tanto, é muito difícil pra eu ter que ficar longe deles, mais não pensei nisso quando cometi este erro.
Meu maior medo é que meu grande pai não vai me perdoar pelos meus erros, pois ele é uma das pessoas mais importantes da minha vida, sou muito feliz com o pai que tenho. Só queria ser filho de sangue para poder ser correto, honesto, esperto e trabalhador, me espelhar num homem que já fez tudo por mim e eu só o desapontei de todos as formas. Mas com certeza de que vou ter a chance de dar muito orgulho a minha família, principalmente a minha filha de apenas sete anos, que morro de saudades. Mayara é a gatinha mais importante, quero ser um bom pai para ela, como o meu vai ser sempre um paizão pra mim.
Desde já agradeço aos irmãozinhos da cela 6 da cadeia pública da Cataguases, que estão sempre dispostos a somar com um irmão que chega na dependência de um cobertor, de sabonete e até mesmo de um remédio, como eu cheguei com dor e um irmão me arrumou.
Agradeço também aos faxinas que sempre que podem, na humildade nos dão atenção com uma água “gelada” com a “Dalva”, que por sinal acha que passa batida, mas não passa desapercebida, pelo corre do dia a dia.
Agradeço ao coordenador dessa edição que dá a todos a chance de mostrar para as pessoas que somos cidadãos quando pedimos uma carta de emprego.
Valeu, obrigado!
Os escolhido por Deus são os que mais sofrem e nós somos os escolhidos – Amém.
**************************************
TODOS TÊM DIREITO À RECUPERAÇÃO
Detentos da Cadeia Pública de Cataguases

Mais não é bem assim que acontece, pois o período de reclusão do detento não é como deveria ser pois aqui seria uma cadeia com uma fábrica que não saiu do projeto, pois o galpão já pronto, mais parece uma moradia de ratos e bichos peçonhentos como escorpiões que já achamos circulando pelas nossas celas.
Na área de saúde está a maior deficiência desta cadeia. Não temos uma enfermaria nem um médico e quando pedimos escolta, o delegado afirma que não tem contingente suficiente para nos atender. Como querer recuperação com tanto descaso das autoridades competentes que só estão preocupadas com o salário alto que recebem e não pensam em como vive o detento nem suas necessidades?
O promotor vem na cadeia e promete aos detentos que vai mudar o cotidiano, mas isso não acontece pois a ultima visita do ilustre promotor desta comarca já tem mais de 4 meses e nem a comida que ele se comprometeu em melhorar, não melhorou.
Parece que eles estão tratando de porco, com uma comida que vem sempre sem estar cozida, mandam carnes impróprias para o consumo humano. Aposto que se os manda-chuvas passassem uma semana presos comendo essa comida talvez quem sabe isso mudasse pois eles sentiriam na pele o que o preso passa na sua caminhada de sofrimento e humilhação que nós vivemos.
A respeito do galpão abandonado que fica ao lado da cadeia é um espaço inválido pois não tem serventia nenhuma, abandonado como está. Isso, sim, se chama desperdício de dinheiro público que não é aplicado como deveria e se esse dinheiro tivesse sido usado para matar a fome de mendigos e moradores de ruas ele não estaria empregado ao lado da cadeia publica de Cataguases, juntando bicho.
Assim que for possível, pedimos a visita de um juiz da corregedoria para dar uma solução aos problemas que deixam o detento indignado com tanto descaso.
Sou um detento que fui enquadrado no art 33 (tráfico) mas, na verdade, sou um mero usuário, o promotor desta comarca só me condenou porque eu não aprontei na cadeia que ele não foi notificado de nenhum incidente provocado por mim por essa razão me qualificou como traficante de drogas Mas se Deus quiser, vai melhorar
Atenciosamente
******************************************

Roberto Esquerdinha
LIBERDADE

Estou escrevendo este tema liberdade porque é tudo que nós presos queremos conquistar.
Sou livre quando amo o que faço.
Sou livre quando amo as coisas porque o amor os faz livres e menos escravo.
Sou livre quando a minha liberdade vale mais do que o dinheiro
Sou livre quando aceito que o mais importante é a minha consciência.
Sou livre quando creio que Deus é maior que o meu pecado.
Sou livre quando sei que na hora do fracasso é sempre tempo de começar outra vez.
Sou livre quando estou consciente de que nem tudo me convém.
Sou livre quando acorrentado continuo a gritar o direito da liberdade.
Aos leitores, obrigado pela atenção.
**********************************

Edson B.C.
O SOFRIMENTO DO PENSAMENTO

Se enfrentarmos a negatividade com mais negatividade perdemos por alimentar uma fogueira que nos destrói por completo.
É sempre importante olhar pro lado positivo de um conflito que se instala em cada vida.
Neste momento, a força de querer nos transformar com sofrimento e orgulho a covardia em bravura. Mesmo que o erro tenha partido de nossa parte, não devemos nos desesperar.
Afinal de contas, o universo ainda está em transformação, porque nós temos que ser perfeitos?
Sentir-se culpado pelos erros significa criar um terreno para que a covardia e a indecisão se instalem.
É consertar um erro precisa ter muita cautela e opinião disponível a qualquer que seja o erro, pense nisso que está escrito “Errar é humano, mas permanecer no erro é burrice”.
Desde já venho agradecer por este pequeno espaço que foi concedido a mim.
Obrigada, Tia Beth e aos nossos amigos leitores, e todos da direção do nosso jornal, que Deus nos proteja...
*************************************

JOSE CARLOS
Os erros são lições de vida

Muitas vezes ao longo de nossas vidas tentamos colocar em prática nossos sonhos e projetos. Porém, nem sempre conseguimos, algo acaba dando errado e ficamos frustrados e desanimados. Com isso, acabamos desistindo e não tentamos dar continuidade às nossas idealizações, pois não temos persistência nem força de vontade de tentar novamente e ver nossos projetos dando certo.
Se as coisas não dão certo, não devemos pensar que foi tudo em vão. Se não deu certo é porque em algum momento você errou. E você não pode justificar seus erros com pensamentos de incapacidade e falta de condições. Talvez se sinta até desencorajado, enfraquecido na luta, mas nunca de considere vencido.
As frustrações causadas pelo fracasso se tornam a razão para o sucesso, com a realização de algo que você jamais imaginou poder conquistar. Por isto não se deve perder tempo com lamentações e sim com uma grande atitude. Nem sempre se ganha, muitas vezes perdemos e não é porque perdemos a batalha que perderemos a guerra.
A felicidade existe, devemos batalhar e correr atrás para que possamos alcançá-la, muitas coisas negativas que acontecem conosco se devem por pensamentos negativos. Pois ao pensar que é infeliz estará percorrendo um caminho oposto ao da felicidade.
Mas não seja covarde desistindo no primeiro obstáculo. Tenha em mente que errar nem sempre é de todo ruim. Com o erro amadurecemos, basta tirarmos proveito deles transformando em lições de vida. Pois é na derrota que descobrimos o quanto somos vencedores. E é através do aprendizado e das experiências colhidas pelas nossas dores que conseguimos nos superar e dar volta por cima e fazer com que nossos sonhos e projetos venham se concretizar em nossas vidas.

***************************************

Luiz Cláudio I. Soares
A REVOLTA DE UM CIDADÃO

Eu, Luiz Cláudio, auxiliar de Serviços Gerais, amasiado há 13 anos e pai de 08 filhos.
Hoje no atual momento me encontro preso na cadeia de Cataguases, no artigo 12 do Código Penal. Crime este praticado pelas mãos de malfeitores para prejudicar um cidadão.
Vejam como aconteceu comigo: simplesmente alguém teve a coragem de plantar um grama de droga dentro do banheiro de minha casa, aí fizeram uma denúncia anônima e assim me jogaram na prisão inocentemente.
E por esse motivo estou pagando preso já há um ano e 5 meses por algo que eu não cometi.
Mas sempre contando com a graça de Deus, espero confiante a verdade plena. E que alguém dos órgãos competentes possa fazer algo por mim em beneficio da justiça e da verdade.
Amigo leitor, venho também fazer um pedido humildemente. Se vocês lerem esse artigo e querem ajudar um preso que está preso inocente.
Você pode ajudar.
1-Estou precisando de uma carta de emprego para assim pagar o restante da minha pena no albergue, para dessa forma voltar ao convívio familiar.
2-Você pode também apresentar meu caso às autoridades competentes de tal modo que possa contornar a minha situação.
Amigo leitor, fico grato por sua atenção nestas poucas palavras. E conto com a atenção daqueles que buscam a verdade e a justiça.
Muito Agradecido.

Textos do jornal Recomeço, edição 135, setembro de 2007.

Um comentário:

  1. Anônimo2/9/11

    parabéns a vcs que estão lutando e acreditando que dias melhores virão, creiam que para Deus tudo é possivel. Ele os ama e quer liberta-los entreguem suas vidas ao Senhor confia Nele e Ele tudo fará.

    ResponderExcluir

Comente