Wikipedia

Resultados da pesquisa

2 de set de 2008

Que Judiciário é este?

Presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Orlando Adão Carvalho, faz a entrega solene do Colar do Mérito do Judiciário ao diretor-executivo do jornal Estado de Minas, Álvaro Teixeira da Costa

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG) homenageou ontem o diretor-executivo do jornal Estado de Minas, Álvaro Teixeira da Costa. Ele recebeu das mãos do presidente do TJMG, desembargador Orlando Adão Carvalho, o Colar do Mérito Judiciário, maior condecoração do Poder Judiciário mineiro. Desde 1983, quando a homenagem foi estabelecida, apenas 37 pessoas receberam o colar. A medalha é concedida apenas a desembargadores e a personalidades que contribuem com a cultura jurídica e a Justiça. O secretário de Estado de Governo, Danilo de Castro, e o presidente da Assembléia Legislativa de Minas Gerais, deputado Alberto Pinto Coelho, também foram homenageados. A cerimônia contou com a participação de desembargadores e de representantes da segurança pública do estado. “O Tribunal Pleno, formado por 120 desembargadores, indicam autoridades que prestaram relevante serviço ao Judiciário e que também se destacaram no meio social. Os nomes são repassados pela comissão composta por mim e os quatro desembargadores mais antigos. Assim, decidimos quem serão os homenageados. Condecorar o jornalista Álvaro Teixeira da Costa é uma forma de mostrarmos como é importante o papel do Estado de Minas , que contribui para aproximar o tribunal com a população”, afirmou o desembargador. Em seu discurso, ele pontuou a importância da imprensa para o desenvolvimento da democracia. Para o diretor-executivo, a homenagem reforça o compromisso dos Diários Associados com a formação e a cobertura jornalística. “Recebo com muito orgulho a medalha e reconheço a responsabilidade dos Diários Associados em cobrir ainda com mais qualidade esse segmento”, diz Álvaro Teixeira da Costa. (FONTE: jornal Estado de Minas- caderno Nacional- 2/9/08)

COMENTÁRIO DO BLOG - Não é esquisito o poder Judiciário dar medalha para jornal? E mais esquisito o jornal aceitar e o diretor dizer que vai "cobrir ainda com mais qualidade esse segmento"? Na mesma edição (2/9) do jornal homenageado, sai no "Cartas à redação" uma reclamação de um cidadão que demonstra o descaso e desrespeito com os usuários "da justiça" no judiciário mineiro. O jornal publica (deve ser descuido do editor das cartas), mas não faz nenhuma cobrança aos responsáveis pelo abuso. Leiam:

Audiência é adiada em fórum sem aviso prévio - Antônio Alves de Moura - Belo Horizonte

"Alguns setores do Poder Judiciário em Minas Gerais carecem de melhorias no seu dia-a-dia. Minha reclamação se refere ao Processo 0435060014063, oriundo de Morada Nova de Minas, na Região Central do estado. Um dos envolvidos seria ouvido por meio de carta precatória na Vara de Precatórias da Comarca de Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, em 22 de julho. Viajamos 340 quilômetros, inclusive à noite, para capital, e, juntamente com o advogado, nos deslocamos para participar da audiência em Ribeirão das Neves, conforme intimação anterior. Ao chegarmos no fórum local, fomos informados de que a audiência havia sido cancelada, porque a juíza entrara em gozo de férias e que a decisão não pôde ser inserida no sistema informatizado, porque, para isso, precisaria de um ato administrativo dela. Simplesmente demais para a nossa paciência. ”
Comentário do blog: Não é o cúmulo da falta de respeito com o cidadão que, além da consideração que todos merecem, ainda é quem paga essa instituição caríssima aos contribuintes mineiros? E fica tudo por isso mesmo. O TJMG tem uma Corregedoria, mas que, como sabemos, não corrige. Então, como sói acontecer no serviço público brasileiro, aconselho o escrevente acima a "queixar-se ao bispo". Além do mais, a corte mineira deve estar ocupadíssma com a festa depois de amanhã, conforme informei na postagem FESTA NO TRIBUNAL, dia 17 de agosto.
______________________________________________

Um comentário:

Comente